Minha pergunta inicial é POR QUE não ensinar o nome real?

Talvez vc nem deve ter se questionado sobre isso, afinal viemos de uma cultura machista e patriarcal onde padrões vão sendo passados de geração para geração sem muitos questionamentos.

Sempre falei a palavra que gera estranheza VAGINA afinal tenho uma e gosto bastante dela. Porque eu daria um apelido? Nenhuma outra parte do nosso corpo tem apelido, cotovelo é cotovelo.

O que vc sente quando fala VA GI NA, leia em voz alta, se conecta ai com o que vc sente.

Meu primeiro contato com esse conteúdo foi em um curso de gênero. Estudei a História, eu olhem à fundo tudo que tem por trás dessa, de primeira vista ingênua, brincadeirinha.

A professora de gênero deu um show de conhecimento, eu não tenho o conhecimento dela mas achei um artigo da Huffpost sobre o assunto.

Abaixo entrevista da Carolina Bologna com as Especialistas Melissa Carnagey e a Lydia Bowers sobre as melhores maneiras de explorar o assunto com crianças pequenas.

Use os termos corretos para as partes do corpo

“Partes do corpo são partes do corpo”, diz Bowers, enfatizando que “pênis”, “testículos”, “vulva” e “vagina” não são palavrões. Os pais têm de ficar à vontade para usar esses termos em casa.

“Não há problemas em falar em cotovelo, joelho e nariz, então por que haveria em falar em pênis, vagina e ânus?”, diz Carnagey.

Há muitos motivos pelos quais as crianças deveriam aprender os termos corretos para as partes privadas, em vez de apelidos. Um deles é que o uso da linguagem correta e o contexto ajudam as crianças a se comunicar com clareza sobre seus corpos. Isso é importante na hora de falar com um médico, por exemplo.

“Quando evitamos certas palavras, inculcamos uma sensação de vergonha, de algo a ser evitado ou escondido”. Lydia M. Bowers, educadora sexual

“Usar termos precisos também prepara as crianças a falar com confiança sobre as mudanças que vão ocorrer em seus corpos, especialmente com médicos ou em situações em que elas estejam aprendendo sobre saúde”, acrescenta Carnagey.

“Quando evitamos certas palavras, inculcamos uma sensação de vergonha, de algo a ser evitado ou escondido”, diz Bowers. Ela afirma que o uso dos termos corretos é útil para que as crianças mantenham o corpo limpo e saudável.

Evite linguagem ‘bonitinha’

Embora seja tentador usar eufemismos e linguagem “bonitinha” quando estamos falando com crianças pequenas, isso pode causar problemas.

“Existem inúmeros termos, e muitos deles têm outros significados. Isso é arriscado, porque a criança pode não ser compreendida por outra pessoa, especialmente se ela foi tocada naquela parte do corpo e precisa contar para alguém”, diz Carnagey.

As crianças deveriam ser capazes de identificar as partes do corpo que são privadas e usar os nomes corretos para elas, caso tenham sido abusadas sexualmente.

“Se estamos usando termos ‘bonitinhos’ porque temos vergonha de usar os nomes corretos, estamos perpetuando a ideia de que certas partes do corpo são sujas ou ruins”, diz Bowers.

Essa é a Parte da entrevista que eu queria compartilhar com vcs. Leiam completa aqui.

No curso de gÊnero que fiz, a professora trouxe muito a origem de cada apelido, o que tinha por traz de “pepeca” (pecadora) “peteca” (brinquedo de bater) e como ele podem confundir as crianças, esses são apenas alguns exemplos que eu lembro.

Fez muito sentido para mim!

Aqui ensinamos onde é vulva, vagina e ânus para as meninas e testículo, pênis, ânus para os meninos. PRINCIPALMENTE que, aquelas são as PARTES ÍNTIMAS deles.

Com três anos a Catharina ja sabia bem. E também quem poderia tocar nela e todas as pessoas que ela pode confiar.

Vc tem refletido sobre educação sexual?

Educação sexual é conversar sobre o corpo, consentimento, ensinar a diferença entre toque abusivo e toque de afeto e orientá-las sobre como pedir ajuda em caso de perigo. É pelo dialogo e pela informação de nos pais que a proteção contra a violência sexual acontece.

Escreverei mais sobre esse assunto.

Fique atenta as minhas redes sociais

Compartilhe esse post com quem vc ama!

Com carinho

Flavia Pereira

×
Olá, clique no ícone do Whats abaixo que já vou lhe atender ;)